Sempre que eu abro a caixa de perguntas no meu Instagram, alguém me pergunta sobre como e quando e como eu comecei a desenhar, a verdade é uma só: eu não sei.

Sei que essa resposta parece estranha, mas é que eu não lembro de uma época da minha vida onde eu não desenhava. Sempre amei desenhar, rabiscar, colorir…isso era uma parte muito presente da minha vida.

Agora eu fico tentando puxar na memória lembranças mais antigas e me vem algumas coisas em mente que eu adoraria compartilhar com vocês.

Durante toda a minha vida escolar eu estudei em apenas duas escolas, a primeira escola durou apenas o meu jardim de infância e pré escola. Foi o período onde minha mãe lecionava por lá. Eu era muito nova então não me lembro disso, mas minha mãe sempre me contava que as professoras achavam esquisito o fato de eu adorar lápis de cor preto. Tudo eu queria desenhar com o lápis preto…tudo tudinho. Ué…preto é uma cor como todas as outras, não? Mas minha mãe nunca achou estranho nada disso, minha mãe é uma pessoa incrível que também acreditava que preto era só uma cor como todas as outras. Por que não?

Até acho isso bizarro, sabe? Pensa comigo, ninguém acha estranho uma menina querer usar rosa pra tudo, porque usar outra cor seria algo ruim? Já adianto de agora que eu sempre fui uma criança muito feliz..rs só usava preto porque eu realmente gostava (vocês sabem porque acompanham meus desenhos, se eu rabiscava tudo de preto antes, nada mudou depois de quase 30 anos rs).

Em 1995 eu estava na 2ª série (embora eu seja péssima com datas essa eu lembro direitinho porque em 94 teve Copa do Mundo) e minha mãe dava aula em um colégio ao lado do meu. Na Páscoa desse ano ela precisava de um desenho de um coelho e adivinha quem fez? Eu mesma. Isso me marcou muito, sabe? Até porque depois disso eu desenhei tanto coelho que por semanas achava que só sabia desenhar isso…rs

Sempre fui apaixonada por animais e quando criança tinha certeza que seria veterinária. Eu tinha uma pasta cheia de desenhos de como seria o petshop dos meus sonhos. É até engraçado pensar nisso porque hoje em dia os petshops são do jeitinho que eu desenhava, existem festas de aniversário com bolos, fantasias e tudo mais…olha só como eu era uma criança além do meu tempo!rs

Só pra compartilhar, em algum momento eu percebi que nunca conseguiria ser veterinária tendo ornitofobia. Então meu jeito de estar próximo aos animais que eu tanto amo foi se modificando conforme o tempo foi passando.

Outra lembrança que eu tenho de muito nova foi um concurso da Polenguinho que teve na minha escola, confesso que eu não lembro o que eu desenhei, mas eu acabei ganhando esse concurso. O prêmio era um relógio que eu NUNCA usei, mas adorava ficar olhando pra ele porque me lembrava de coisas boas.

Um pouquinho mais pra frente eu tive uma professora de artes na escola MUITO fora da caixinha, daquelas que faz bolinhas de corretivo no óculos só porque é legal. Ok, a verdade é que pros outros ela era muito esquisita, mas pra mim ela era incrível, era o adulto que eu queria ser. Daquelas pessoas que não tem vergonha de ser quem elas querem ser, sabe? Acho que um pouquinho disso eu consegui me tornar hoje em dia, tenho 32 anos, escolhi uma profissão não convencional, tenho cabelo roxo, casei-não-casei com um cabeludo-tatuado-com-piercings e nossos filhos são pets.

Continuando a história…essa professora um dia pediu para fazermos uma reprodução de uma das telas do Di Cavalcanti. Enquanto todo mundo ficou desesperado e achou aquilo um absurdo, eu achei sensacional, me senti desafiada e motivada com a proposta e me diverti MUITO fazendo esse trabalho.

Essas lembranças são muito valiosas no meu coração, cada pedacinhos delas me fizeram ser quem eu sou, mas o mais importante pra mim é que durante tudo isso eu tive o apoio e o estímulo dos meus pais de diversas formas diferentes. Sendo com elogios, incentivos, materiais ou cursos. Então eu só tenho que agradecer a eles por tudo isso. <3

Uma pausa pra compartilhar as cartinhas e desenho que meus pais guardaram.

Eu sempre escrevia cartinhas pros meus pais. A parte mais fofa é que eles têm uma gaveta no escritório com vários desenhos meus e do meu irmão.

Só queria dizer que eu estou impressionada com a minha firmeza com esse traço da canetinha. Parabéns pra Mini Cris…rs

Big Blue era a academia que a minha mãe fazia, aliás, ali em cima  eu desenhei minha mãe.

Essa era minha visão raio x de quem estava do outro lado da rua. Enxergava através do caminhão, da parede e da piscina…rs 

E além de tudo isso, estava chovendo…hehe

Eu sempre amei colorir, eu gostava de giz de cera e lápis de cor.

Quando ganhei esse estojo com umas cores neon foi o ápice pra mim. Tudo tinha que ser neon (ok, mais uma vez eu digo “não mudou muita coisa”).

Esse eu quis compartilhar porque mais uma vez fiquei orgulhosa da Mini Cris que pintava dentro do contorno.

Querem saber como eu comecei a estudar desenhos e tudo mais? Vou contar em um próximo post.

Até mais! 😀

Carrinho de compras
Por favor não copie :(